quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

1964 : Os Beatles nos EUA

No dia 7 de fevereiro de 1964, o aeroporto John F. Kennedy, de Nova York, fica paralisado, durante horas, por causa dos empolgados fãs de um grupo pop europeu: Os Beatles chegam à América e a conquistam num piscar de olhos.

- Eu estava no carro com mamãe quando ouvi esta música no rádio - "I want to hold your hand". Acho que dei um grito naquele momento e a mandei aumentar o volume! O que é isto? Eu não tinha idéia. Mas alguma coisa nesta canção me encantou. Eu fiquei com lágrimas nos olhos. Algo assim eu jamais tinha ouvido.

Nora tinha 12 anos naquela época, e não era a única eletrizada pelos Beatles. No dia 13 de janeiro de 1964, "I want to hold your hand" estreou nos Estados Unidos. Em quatro dias, foi vendido 1,5 milhão de cópias. E os Beatles escalaram para a liderança das paradas de sucesso. Uma semana mais tarde, o álbum "Meet the Beatles" atingiu o primeiro lugar na parada de elepês.

Um cenário perfeito para a primeira turnê dos quatro jovens de Liverpool, que desembarcaram nos Estados Unidos, pela primeira vez, a 7 de fevereiro de 1964. Mais de três mil fãs, na maioria garotas frenéticas, os saudaram no aeroporto em Nova York.

Um dia depois, John, Paul e Ringo apareceram para uma sessão de fotos no Central Park. George estava doente. No dia 9, compareceram ao legendário Ed Sullivan Show, proporcionando uma audiência de 13 milhões de espectadores. Isso em apenas dez minutos de apresentação! Diante de uma televisão, em Pittsburg, estava a pequena Lynne, de seis anos, com suas duas irmãs: - Uma delas me gritou bem alto no ouvido. Ela estava quase tão histérica quanto o público no show. Mas alguma coisa da música a gente ainda conseguia ouvir. Foi uma experiência, uma sensação que jamais esquecerei. Ela mudou minha vida, como toda a minha geração. Foi simplesmente um momento importante, realmente emocionante. Claro que, naquela hora, eu ainda não sabia o que significaria mais tarde.

O primeiro concerto dos Beatles nos Estados Unidos foi no dia 11 de fevereiro, no Coliseu de Washington. Pouco se ouviu da música, como lembra Nora: "Todos gritavam tanto. Não se entendia uma palavra. A gente só tinha uma noção de que lá na frente estavam fazendo música. A gritaria das garotas me irritou muito. Eu queria ouvir a banda. Afinal, estava num show dos Beatles e não na apresentação de adolescentes histéricas.

Quando os Beatles se apresentaram um dia depois em Nova York, o famoso Carnegie Hall estava completamente lotado. Para atender à procura pelos ingressos para as duas apresentações, foram colocadas cadeiras até no palco. Diante da porta, no entanto, grupos de moralistas empunharam cartazes com os dizeres "Beatles go home" ou "DDT kills Beatles", sob os gritos frenéticos das fãs lá dentro. Por isso, o vídeo do concerto nunca chegou a ser divulgado.

Depois do retorno para a Inglaterra a 22 de fevereiro, estava plantada a revolução nos Estados Unidos. Já na primeira visita, os Beatles se tornaram um mito. Muitas que relembram a época não conseguem explicar por que aqueles quatro jovens eram um fenômeno.

Nora tenta justificar: Se alguém soubesse o motivo daquela fascinação da gente pelos Beatles, ficaria milionário. Seriam os cabelos? Não, havia tantos grupos com penteados malucos, e não faziam tanto sucesso. Havia outros, com uma música sensacional, sem o mesmo reconhecimento. Isso vai continuar um mistério!

Michael Kleff/rw

Marcadores:

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial